fbpx

NICOs

(Neuralgia inducing cavitational osteonecrosis)

É uma doença caracterizada pela presença de lesões cavitárias, presentes na mandíbula e/ou maxila, muitas vezes não detectáveis radiologicamente. Pode se originar a partir de um trauma como extração dentária, onde se desconsiderou a remoção total do ligamento periodontal; tratamento endodôntico; ou até mesmo de um processo infeccioso. NICO tem sido apontado como causa frequente de neuralgias faciais envolvendo o território trigeminal. Trata-se de dor intensa do tipo choque elétrico, de curta duração e às vezes tem caráter contínuo, porem muitas vezes é assintomático ou seja não apresenta nenhuma dor.

É caracterizado por uma área crônica de liberação de mediadores inflamatórios formada por uma degeneração da medula óssea. Não há circulação sanguínea adequada, pois não houve restabelecimento da microcirculação na medula óssea.

Há um tecido gorduroso geralmente amarelado e NÃO visível em radiografia convencional.

Libera mediadores inflamatórios crônicos, quimioquinas, ligadas ao Câncer, às doenças crônico-degenerativas, ao Alzheimer, ao Parkinson, às dores crônicas, etc.

O professor Johann Lechner (Alemanha, Munique) em seu artigo Hyperactive-signaling pathways of chemokine RANTES/CCL5 in osteopathy is of jawbone in breast câncer patients– 2014, afirma que dentre os mediadores inflamatórios (quimiocinas) que podemos encontrar em NICO destacam-se o CCL-5 (C-C motif chemokine ligand 5 (CCL5) antes nomeado como RANTES (Regulated upon activation normal T-cell expressed, and secreted). O CCL-5 pode ser detectado em diversos tecidos do organismo, onde houver inflamação severa, com testes autonômicos, como o Autonomic Responsive Testing, e um reagente preparado para tal.

Os anestésicos utilizados na Odontologia convencional associados à Adrenalina estimulam Receptores α e β adrenérgicos levando a uma vasoconstricção inicial seguida de vasodilatação pós-cirúrgica. Já os anestésicos associados à noradrenalina estimulam apenas os receptores α adrenérgicos causando apenas vasoconstricção o que pode levar à isquemia tardia e ao NICO e inclusive à necrose dentária dias após o atendimento.

Hoje temos em nosso consultório mecanismo para detectar a presença de (Nico) através da biorressonância e confirmando com uma tomografia computadorizada podemos traçar um plano cirúrgico para o tratamento.

O tratamento é realizado com cirurgia feito no próprio consultório odontológico sob efeito de anestesia local, onde após remover os restos necróticos, utilizamos a ozonioterapia, células tronco e Plasma Rico em Fibrina (L-PRF).

O acompanhamento é importante para a averiguar a correta formação óssea.

Comentários

WhatsApp chat